sábado, 12 de maio de 2018

Praia

Ouvia à pouco numa entrevista da Carolina Deslandes para o Alta Definição que uma das maneiras de ela ver a vida passava por imaginar-se a nadar até encontrar a praia que lá ao longe avistava e que quando lá chegou, deu por si e as pessoas que talvez a magoavam mais, ainda estavam a nadar a tentar lá chegar.

Devo dizer que foi das coisas que já ouvi na vida, que por um lado, mais sentido fez e que nem damos por nós a pensar nisso no nosso dia-a-dia. 

Quantas batalhas ultrapassamos nós, culpando muitas vezes os outros, sem pensarmos qual a batalha que eles próprios estão a passar? Um momento para pensar nisso pode nos fazer entender por vezes muitas atitudes que insistimos em culpar, em apontar o dedo e..até...porque não..a ser egoístas.

Está sempre em nós, a luz ao fundo do tunel, a praia, as ondas a ultrapassar. Mas, está também à nossa volta todo um conjunto de batalhas que temos que refletir e compreender. Não somos só nós que aqui estamos, não somos só nós que construimos e escrevemos a nossa história. Tal como tudo, existem complementos que a fazem ser tão bonita quanto ela pode ser, mas temos que saber relacionar o bom e o mau. O meu...e o teu. 



Patrícia

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Let's start, let's love

Começar do zero, qualquer coisa, seja ela qual for nunca é tarefa fácil. O primeiro dia estamos cheios de motivação, o segundo ainda vamos bem balançados se o primeiro tiver corrido bem e o terceiro vem com aquela dor abdominal agradável, que mesmo que nos custe, tem sempre um sabor agridoce. 

Uma das minhas grandes motivações de começar a treinar de novo, vem da maturidade de entender que não os resultados rápidos que nos fazem bem, mas sim ser paciente. Muito paciente e viver. Isso...essencialmente viver. 

Para isso é preciso saber crescer e aceitar-nos a nós próprios tal como somos. Só assim somos capazes de olhar o espelho e entender que está tudo bem, só que ainda queremos mais e melhor. Acreditem, não vem com um abrir e fechar olhos, não vem porque deixas de comer um caramelo que a tua colega do trabalho te ofereceu, vem...da paciência, dessa vontade infinita de viver e querer te olhar mais e melhor. 

É assim e ai que vai-se buscar a força e a coragem de começar de novo. Em tudo, seja no que for. 

Dizem que há o tempo certo para tudo...e eu cada vez acredito mais que sim.

Let's do this!