quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Aquela pausa no estudo que era mais que necessária.

Odeio os homens e os seus estereótipos. Digo isto dos homens, como poderia dizer das mulheres, mas como mulher, obvio que me afeta mais ver um homem que define a sua vida de acordo que acha que está correto aos seus olhos. E por correto entenda-se coisas como uma rapariga perfeitinha, que aos olhos de todos é aceitável e que tenha que estar na mesma classe social que ele. Isto parece-me tão antiguado que até me afeta o pensamento. O que mais me chateia é ver pessoas da minha idade a ser assim e para além dessa personalidade mesquinha e irritante, ainda juntam aquele pequeno pormenor que faz toda a diferença, criticam os outros por não viverem "tão" perfeitamente como eles. Porque parece que a vida tem que ser assim, viver para fazer tudo direitinho, sem uma risada num silêncio, ou fazer uma figura em pleno público. Ás vezes apetece mesmo é chegar ao pé deles e gritar "VIVE!!" e viver não é simples momentos que se vive com o pessoal, pensando sempre em manter aquela "classe", aquela arrogância tipica e irritante. (GRRR)

3 comentários:

  1. Não tens que agradecer, minha linda :)
    Muito obrigada pelo incentivo! Sempre gostei muito de escrever, quando podia e a imaginação assim o permitia fazia-o todos os dias. Sabe-me bem, é libertador.
    «Nada sabe tão bem quanto isso!», assino por baixo

    Beijinhos <3 *

    ResponderExcluir
  2. As pessoas não deviam de criar uma receita de "pessoas perfeitas" pois arriscam-se a excluir tudo o que sai desta pseudo lista de perfeições a ter. Não podemos exigir que as pessoas sejam isto ou aquilo.

    ResponderExcluir
  3. r: obrigada querida! hão de melhorar :)
    beijinho e obrigada euu ♥♥

    ResponderExcluir